sempresustentavel.com.br

CADASTRE-SE  PARA  RECEBER  AS  NOVIDADES

NÃO DEIXE ÁGUA PARADA OU DESTAMPADA EM LUGAR NENHUM

COMPROMISSO SOCIAL - COMBATE A DENGUE

PRECISAMOS AJUDAR NO COMBATE CONTRA A PROLIFERAÇÃO DO MOSQUITO TRANSMISSOR DA DENGUE - O AEDES AEGYPTI

PARA COMBATER, PRIMEIRO ELIMINE QUALQUER PONTO ONDE POSSA TER OU FICAR ÁGUA PARADA E DESTAMPADA - ISSO DEVE SER FEITO PARA IMPEDIR QUE O MOSQUITO USE ESSA ÁGUA PARA PROCRIAR

FAZER E USAR COM 100% DE RESPONSABILIDADE UMA MOSQUITÉRICA = MOSQUITOEIRA GENÉRICA = ARMADILHA PARA IMPEDIR A PROLIFERAÇÃO DO MOSQUITO

VEJA A SEGUIR COMO CONSTRUIR E USAR UMA MOSQUITÉRICA

CLIQUE PARA AMPLIAR

pegue uma garrafa PET de 2 litros e faça dois cortes conforme figura ao lado.

O primeiro corte deve ser feito +/- 1cm abaixo do final da curva superior da garrafa. Após esse corte você terá a primeira peça da Mosquitérica; um FUNIL.

O segundo corte (na parte de baixo da garrafa), deve ser feito 2cm mais alto que o tamanho do funil. Após esse corte você terá a segunda peça da Mosquitérica; um COPO.

DICA: na garrafa de coca-cola, retire quase toda a parte lisa do meio. Os pedaços que sobrarem serão o funil e o copo. Veja exemplo na foto do início desse Manual.

CLIQUE PARA AMPLIAR

Retire o anel da ponta da garrafa (funil) sem quebrá-lo. Ele terá utilidade mais adiante.

CLIQUE PARA AMPLIAR

Lixe o interior do funil até que ele fique bem embaçado, com a superfície áspera.

CLIQUE PARA AMPLIAR

Recorte de um pedaço de +/- 7cm x 7cm de microtule ou de tela mosquiteiro fina com a trama (furinhos) de no máximo 1mm de diâmetro.

Depois cubra a boca do funil com essa telinha, e use o anel (que retirou no 2° passo) para prendê-la. Depois, com uma tesoura retire as sobras ao redor do anel. Veja foto (ampliada) a seguir.

CLIQUE PARA AMPLIAR

IMPORTANTE:

- o microtule é um tecido mais fino que o tecido tule (filó), usado para fazer véu de noiva.

DICA: algumas pessoas estão vendendo tule (tecido usado para fazer o véu de noiva) como se fosse microtule, então sugerimos que chegue na loja e peça o tule, para depois então, pedir o microtule. Assim poderá comparar e ter certeza de qual é o microtule; aquele que tem a trama (furinhos) menor que o tule.

- a tela-mosquiteiro fina é aquela que se usa nas janelas para impedir a entrada de mosquitos, mas, é importante que a trama (furinhos) dessa tela não tenha o diâmetro maior que 1mm. =>

 

FOTO AMPLIADA - TELA MOSQUITEIRO FINA PRESA COM O ANEL DO LACRE

- agora tem que colocar o alimento para as "futuras" larvas. Sombra e água limpa parada e com alimento para os futuros "bebês"; só assim a fêmea do mosquito vai colocar os ovos na Mosquitérica.

Para isso, pegue dois ou três grãos (sementes) integrais e crus e triture-os com a ajuda de um martelinho ou um alicate.

Obs.: os grãos (sementes) podem ser de preferência o arroz integral ou alpiste, ou uma bolota de ração para gatos; caso não tenha nenhum desses pode usar o arroz comum, ou um feijão, ou sementes de capim,  sempre triturados. A diferença será apenas no tempo em que a refeição estará pronta para os bebês.
IMPORTANTE: os grãos não podem ser cozidos, assados ou torrados; tem que ser obrigatoriamente integrais e crus.

CLIQUE PARA AMPLIAR

Depois de triturá-los, coloque os pedacinhos dentro da parte de baixo da garrafa, que agora serve como um copo.

depois de ter colocado os pedacinhos de grãos triturados dentro do copo (parte de baixo da garrafa), coloque o funil com a ponta virada para baixo até tampar a boca do copo.

Depois prenda o funil no copo usando fita isolante. Essa emenda deve ser vedada totalmente. Não pode deixar nenhum vão nessa união. Se precisar dê duas voltas com a fita isolante, para prender e vedar bem a boca do copo com o funil.

CLIQUE PARA AMPLIAR

Calcule mais ou menos o meio do copo, faça uma marca (1) e preencha com água limpa até essa marca.
Obs.: a água deve ser filtrada e sem cloro.
Dica: ferva a água para sair o cloro, depois espere esfriar bem antes de colocá-la na Mosquitérica.

Pronto, a Mosquitérica está pronta para ser usada.

CLIQUE PARA AMPLIAR

Agora, onde colocar a Mosquitérica?
Resposta: sempre na sombra. De preferência dentro de casa ou bem próximo, em local sombreado (lembre-se que os Aedes aegypti são mosquitos domésticos, encontrados principalmente atrás de cortinas, móveis e em locais próximos ao chão).

IMPORTANTE: as fêmeas hematófagas dos mosquitos percebem onde está a fonte de alimento pelo calor emitido pelas partes descobertas do corpo, calor este detectado por cerdas anatômicas dos mosquitos que funcionam como sensores de infra-vermelho. Portanto, se alguém está com dengue e desenvolve febre é sinal que está com viremia (carga viral alta no sangue). Com febre, a aura de infra vermelho do corpo é maior e, portanto, é melhor percebida pelas fêmeas, que ao sugarem o sangue dessas pessoas infectam-se e vão infectar outras pessoas. Por isso, o uso de mosquiteiros nas camas de pacientes com suspeita de dengue deveria ser uma providência de caráter obrigatório!

Manutenção - Após alguns dias de uso, é bem provável que já tenha alguma desova do mosquito na Mosquitérica.

Para que desses ovos sejam liberadas as larvas, é necessário aumentar o nível da água. Então, coloque mais uns dois ou três centímetros de água (2).

CLIQUE PARA AMPLIAR

Depois, com o tempo, o nível da água vai diminuindo (evaporando) até chegar novamente ao primeiro nível (1). Quando isso acontecer, você pode repetir o processo colocando mais água até o nível (2), ou se ver que tem larvas ou moscas dentro da Mosquitérica, é melhor descartar a água conforme as instruções a seguir:

Como fazer o descarte da água: Primeiro, agitar bem a Mosquitérica para matar (afogado) qualquer mosquito que possa ter se desenvolvido dentro dela, depois abri-la retirando a fita isolante e despejar toda a água com os mosquitos mortos, larvas e pupas, na terra, de preferência onde bate sol. Se não tiver terra, após agitar a água para "afogar" os mosquitos adultos presentes, coloque detergente na água, agite bem, aguarde alguns minutos e observe se as larvas morreram, ficando totalmente imobilizadas. Então o líquido pode ser descartado no vaso sanitário. Depois, passe a lixa novamente dentro do funil para destruir possíveis ovos que possam ter ficado grudados ali. Por fim, lave tudo com água e sabão.

Use sua Mosquitérica o tempo que for necessário, até perceber que não aparecem mais mosquitos nela, e confirmar que em sua região não existe mais nenhum caso de Dengue. Mas, lembre-se, nunca deixe nenhuma coisa que possa ficar com água parada e descoberta, inclusive a própria Mosquitérica quando não estiver mais usando; só assim poderemos acabar com a proliferação desse mosquito transmissor de doenças sérias.

ATENÇÃO: Como em biologia não há nada absoluto, pode ocorrer de uma ou outra larva ficar fora do padrão de tamanho, e com isso aparecer no funil, acima da tela de microtule. Caso isto aconteça, é só descartá-la na terra e depois repor a água. Por isso, não é só fazer a Mosquitérica, mas faz parte do processo de cidadania responsável vigiá-la, pelo menos, a cada 3 dias. Se a população abraçar essa causa, de forma unânime, em um mês acabaremos com os Aedes aegypti em nosso ambiente.

DICA: para saber se as larvas que estão dentro da Mosquitérica são do mosquito Aedes aegypti, use o feixe de luz de uma lanterna e ilumine-os; se as larvas se retorcerem demonstrando incomodadas, então essas são do mosquito Aedes aegypti.

Obs.: Este manual contou com a colaboração do Prof. Maulori Cabral e da Profa. Maria Isabel Liberto, do Instituto de Microbiologia Prof. Paulo de Góes da UFRJ.


Veja a seguir mais algumas informações, esclarecimentos e links úteis:
   

A invenção da Mosquitoeira® foi idealizada e patenteada pelo Sr. Antônio C. Gonçalves Pereira, funcionário contratado da COPPE-UFRJ junto com o Engenheiro Hermano César M. Jambo. Como o produto não teve sucesso comercial, mas a população estava à mercê da dengue, a equipe do Professor Maulori Cabral, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) criou, usando garrafas PET, a versão genérica da Mosquitoeira®, chamada Mosquitérica, uma armadilha de eficiência equivalente porém de custo quase Zero.

   

Veja (em vídeo) uma entrevista com o Prof. Maulori Cabral explicando como montar e usar a Mosquitérica:
 http://rjtv.globo.com/Jornalismo/RJTV/0,,MUL347258-9101,00.html

Armadilha contra Dengue é testada - Jornal Hoje
http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM803305-7823-ARMADILHA+CONTRA+A+DENGUE+E+TESTADA,00.html

UOL Ciência e Saúde - Armadilha caseira pode indicar presença do Aedes aegypti nas redondezas
http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/2008/04/21/ult4477u546.jhtm

UOL Ciência e Saúde - "Mosquitérica" Passo a passo
http://cienciaesaude.uol.com.br/album/080421mosquiterica_album.jhtm

   

CLIQUE AQUI e veja uma explicação detalhada da Profa. Maria Isabel Liberto, do Instituto de Microbiologia da UFRJ, sobre algumas dúvidas básicas quanto ao uso da Mosquitérica.

Mais um vídeo esclarecedor da Profa. Isabel Leberto: http://videos.r7.com/veja-o-que-realmente-funciona-no-combate-ao-mosquito-da-dengue/idmedia/ae0a4d0f63f465d422fff20523630716.html

   

Boletim da FAPERJ - Dengue põe em evidência pesquisas realizadas no Rio de Janeiro. Nessa página tem um manual passo a passo para construir a Mosquitérica (doc. em PDF).

   

Disque-Dengue da UFRJ - (21) 2560-6698, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h., ou envie e-mail para a Profa. Maria Isabel Madeira Liberto (isabel@micro.ufrj.br) ou para o Prof. Maulori C Cabral (maulori@micro.ufrj.br), responsáveis pelo projeto de extensão Universitária.
O Instituto de Microbiologia Prof. Paulo de Góes (IMPPG) da UFRJ oferece o Disque-Dengue da UFRJ para esclarecer dúvidas à população ou para agendar pedidos para apresentação do Fuzuê da Dengue. O fuzuê consta de palestra; apresentação de teatro de fantoche; exibição do filme: O mundo Macro e Mucro do Mosquito Aedes aegypti, produzido na Fiocruz; teatralização de histórias com ênfase no Culto à cidadania; jogos; orientação para o uso da Mosquitoeira® e confecção das Mosquitéricas. Na filosofia dos trabalhos, a dengue é encarada como uma doença educacional.

   

Site Combate à Dengue - www.combateadengue.com.br - O objetivo do site “Combate à Dengue” é ser um canal de informação sobre a dengue no Brasil, concentrar informações sobre a doença e ajudar as pessoas a entenderem melhor como podem se prevenir e tratar a doença.

   

Ioshiko Nobukuni – sobrevivente da dengue hemorrágica - Fernandópolis - SP nobukunister@gmail.com A Dna. Ioshiko Nobukuni é pesquisadora e grande disseminadora de muitas técnicas para combater o mosquito da Dengue. Entre em contato com ela e peças informações. e-mail: nobukunister@gmail.com
Edison, tudo aqui foi testado na prática. Desde que sobrevivi à dengue hemorrágica, em abril/2007, venho pesquisando. Tentei muitas coisas, estas últimas, são de grande valia, faça o teste e verá! Visito locais com infestação de dengue, todos os dias. Colocar barreiras para o mosquito não entrar para botar, ou para picar, é importante. Muitas vezes, a vítima não é a que deixou criadouros. MUITAS CIDADES ESTÃO PERDENDO O CONTROLE. CONHEÇO UMA CIDADE, ILHA SOLTEIRA, ONDE MORA MEU IRMÃO E A FAMÍLIA, EM 2007 TIVERAM MAIS CASOS DE DENGUE QUE FERNANDÓPOLIS, ELES CONSEGUIRAM ACABAR COM OS CRIADOUROS. Na minha casa não tem criadouros, mas, sempre aparecem de 2 a 4 mosquitos por dia. Só q. eles não saem vivos daqui. Tenho as armadilhas, se algum vier me picar (eu não passo repelente para ver o movimento dos mosquitos) eu bato com raquete ou com as mãos. Se algum me sugar o sangue e escapar de minhas mãos, ele vai direto na Adultrap para botar e fica preso, é fatal. Capturo e extermino todos que aqui aparecem.

   

A Borra do Café e o controle do Aedes - Hermione Bicudo e Alessandra Theodoro Laranja

   
Vasos ecológicos feitos com materiais recicláveis e com total proteção contra o mosquito transmissor da Dengue.

CLIQUE PARA AMPLIAR

Cultivo de plantas em garrafas PETs

CULTIVO ORGÂNICO OU ORNAMENTAL EM GARRAFAS PETs COM SISTEMA DE SUPRIMENTO DE ÁGUA SUPER ECONÔMICO E COM TOTAL PROTEÇÃO CONTRA O MOSQUITO TRANSMISSOR DA DENGUE, O AEDES AEGYPTI

Para saber mais, clique aqui.


© Copyright - Todos os direitos reservados - All rights reserved